Série #LançamentoPix: Qual é o papel do Banco Central nessa nova forma de pagamentos?

Novo sistema entrou em funcionamento no dia 3 de novembro

O Pix é uma forma inovadora de realizar pagamentos e transferências, em que as transações são realizadas de maneira instantânea e sem burocracias, independente da instituição bancária.

A nova ferramenta foi criada pelo Banco Central (BC), que desempenha dois papéis fundamentais no seu processo de implantação: por um lado, é o regulador, que define as regras de funcionamento e, por outro, também atua como gestor da infraestrutura tecnológica.

Com o lançamento do Pix, transações bancárias que até então poderiam demorar dias, vão ser realizadas em poucos segundos, independente da hora, dia da semana ou se as operações são feitas entre instituições distintas.

Para que isso fosse possível, o BC criou uma infraestrutura tecnológica que é administrada pelo próprio órgão, e permite que os usuários realizem os pagamentos e transferências de forma intuitiva, a partir de informações simples, como, por exemplo, o RG ou o número de telefone (que tem que ser previamente cadastrados pelo titular da conta). A base que inclui essas informações também é dirigida pelo Banco Central, responsável pelo sigilo e segurança dos dados.

Saiba mais

A construção desse novo sistema faz parte da Agenda BC# — uma iniciativa lançada em 2019 pelo Banco Central., cujo objetivo é fomentar a democratização financeira, ao estimular a eficiência tecnológica e a participação de todos no mercado. Seus pilares são a inclusão, a transparência, a educação e a competividade.

Para encorajar e incluir a participação da sociedade nesses novos processos, o BC criou um fórum, onde usuários e instituições podem registrar críticas e sugestões sobre o PIX.

Para saber como participar e acessar as informações registradas em reuniões passadas, acesse este endereço: https://www.bcb.gov.br/estabilidadefinanceira/forumpagamentosinstantaneos.

Tags: finanças pagamentos pix planejamento financeiro

Veja mais