Empréstimos para amigos e parentes podem gerar confusões familiares

É importante lembrar que você não deve sentir-se obrigado a emprestar dinheiro para alguém só por ser da sua família

 

Todo mundo conhece ao menos uma pessoa que já emprestou dinheiro para um familiar que não arcou com o compromisso de pagar. Não é à toa que especialistas alertam que o ditado “amigos, amigos, negócios à parte” é uma premissa básica a ser seguida.

Antes de qualquer coisa, é importante lembrar que você não deve sentir-se obrigado a emprestar dinheiro para alguém só por ser da sua família. Muitas pessoas erram por ficarem sem graça em dizer não e acabam cedendo sem ao menos pensar a respeito. O mal-estar momentâneo é melhor do que colocar a amizade ou as relações familiares em risco por um longo tempo, caso não receba o dinheiro de volta.

Se o dinheiro não for só seu, nada mais justo do que dividir esta decisão dentro de sua casa. Sonhos e projetos podem mudar dependendo do quanto se vai emprestar, e não veja seu parceiro como um rival ao ponderar sobre a possibilidade de se recusar o empréstimo. Há muitas razões para que se pense duas a três vezes antes de tomar uma decisão dessa.

Caso você decida ajudar seu parente, uma dica de especialistas é deixar isso registrado de alguma forma. Uma opção é você pedir um cheque ou uma nota promissória em garantia. A pessoa que está pegando o dinheiro emprestado tem que entender as suas condições. Tenha sempre em mente que será difícil cobrar o devedor. Caso faça isso, a situação pode se inverter e você ainda correrá o risco de ficar mal visto. Todo cuidado é pouco, não são poucos os casos de brigas familiares por causa de dinheiro.

Avalie sua real situação financeira para que o valor a ser cedido não faça falta. Não conseguiu dizer não e acabou emprestando o dinheiro? Então, pelo menos, disponibilize uma quantia com a qual você não precise contar. Afinal, essa verba pode nunca mais voltar para o seu bolso.

O empréstimo é realmente necessário?

Outra regra básica que deve ser levada em conta quando se empresta dinheiro para algum parente é entender para que ele precisa desse valor. É interessante pensar em como você vai se sentir caso a pessoa com dificuldades financeiras te peça dinheiro emprestado e no mês seguinte compre uma televisão nova ou faça algo que você julga supérfluo. Como é você quem está desembolsando esse valor, fique à vontade para perguntar o que será feito com aquela quantia.

Melhor do que dar o peixe é ensinar a pescar. Ajudar seu familiar com um emprego ou com uma renda extra pode ser mais incentivador do que simplesmente lhe oferecer ajuda financeira. Pergunte para amigos se alguém precisa de um empregado a mais, incentive o trabalho ativo de se autossustentar e ensine-o a administrar o dinheiro.

E por último, se recuse a emprestar dinheiro para mau pagador. Se você já sabe da “fama” da pessoa e de como ela usa o seu carisma para convencer os membros da família a lhe emprestar dinheiro, saiba que esse é um valor que você não verá mais, e pode estar nas suas mãos cortar esse mal pela raiz. Para se esquivar, ajude a pessoa na compreensão de como você gerencia seu dinheiro.

Tags: empréstimo família finanças parentes

Veja mais